segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Mar de Amor


Autores: Paulino Carrasco e Maria Raquel de Oliveira Souza




Saudade
Despetalada dói
No meu peito, a flor perfeita
Que um dia foi perfume de almas,
De calor, de coração,
Do suor na nossa pele
A escorrer...

De molhar o corpo
E de prazer, voar
Nos seus braços
Que um dia foram meus,
Somente meus. 
Agora estou eu sonhando
Com aquela flor do jardim
Do meu amor, que desfolhou.
Que um dia floresceu, viveu
E depois acabou, murchou,
Morreu! 

Que o mundo entendeu,
Abriu os braços,
Nosso corpo abasteceu,
Preencheu!...
Agora aqui estou eu
Imaginando o dia
Que amanheceu...
Você e eu!...

Saudade despetalada dói
No meu peito, a flor perfeita
Que um dia foi perfume de almas,
De calor, de coração.
Do suor na nossa pele
A escorrer...

Saudade despetalada dói
Amarrotada, jogada assim ao léu...
Meu coração ainda é seu
Somente seu, meu amor

Nosso amor não pereceu.
O meu amor é seu, somente seu,
Meu amor, meu grande amor!...
Meu grande amor...

Nosso amor não pereceu.
O meu amor é seu, somente seu,
Meu amor, meu grande amor!...
Meu grande amor...



Meu grande amor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

“Gratidão é o vinho para a alma.Vá em frente,embriague-se!”
Rumi

Gratidão!... Gratidão! Namastê!!!