quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Laços de Amor

Laços de amor

Com rédea firme, certeira
O coração palpitante
O sorriso cativante
Você me fez prisioneira

E me prendeu com correntes
Feitas de amores ardentes
Promessas tão pertinentes
Argumentos consistentes...

Já nem quero mais fugir
Nem liberdade pedir
Nos seus laços de amor
Te sigo pra onde for

Por essa vida ligeira
Eu me entrego sem pudor
Sou por você prisioneira
Nos seus caprichos de amor!...


Maria Raquel

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Alma Livre


Alguns nasceram para ser livres. Para esses, não há outro caminho, que não seja o da liberdade!... Almas não se aprisionam!...

sábado, 3 de setembro de 2016

Cada tropeço vale uma canção!...


Não é fácil adentrar em um coração pleno. Corações vazios não conseguem caminhar em um mar garrido, multicor, cativante, aguerrido... Essa luz intensa lhes ofusca a visão. Para esse coração, cada tropeço vale uma canção!...

Maria Raquel

sábado, 11 de junho de 2016

A noite chegou...

A noite chegou...

A noite chegou tão breve
Tranquila, bastante calma
Abrigou meu corpo leve
Serenou a minha alma

Meu medo é a escuridão
Acendo a luz do lampião
E na beira do fogão
Aqueço meu coração

Depois da longa jornada
Cansativa, demorada
Chego aqui nesse lugar
Para, enfim, descansar

Nessa minha caminhada
Sou peregrina dos sonhos
Às vezes, encontro o nada
Nesses meus dias tristonhos

Muitas vezes me distraio
Inventando o que fazer
Bem pouco do que eu faço
Me traz alegria ou prazer

No percurso ou nas paradas
Vivo no tempo de espera
Nem sei mais o que é viver
Esperando acontecer

A esperança é de acordar
Vivendo outro amanhecer
Sentindo o brilho no olhar
Em um belo alvorecer

Pego bem cedo a estrada
   Bem antes de o sol nascer
Para trás, não deixo nada
        Nem meu rastro pra se ver...

Autoria: Maria Raquel de Oliveira Souza

segunda-feira, 25 de abril de 2016

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Delírio



Meu poema "Delírio" foi musicado pelo músico peruano Paulino Carrasco. Os arranjos e instrumentais também são dele. Eu gostei. Ficou muito lindo! Espero que gostem!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

FLOR TROPICAL


Flor Tropical

Ainda lembro muito bem
O quanto te fiz chorar,
Quando tive que partir
Por esse mundão sem fim.

Muitas saudades senti,
Foi aí que descobri
Que meu verdadeiro sonho
Eu tinha deixado aí.

Por quantas vezes chorei
E tantas dores passei.
Por isso te peço, volte!
Se ainda gosta de mim...

Te quero, flor tropical  
Morena cor de café
Linda, cheirosa, atrevida
Incendeia minha vida.

Não consigo esquecer
Das nossas noites quentinhas,
Debaixo do cobertor
Embrulhados no amor...

Hoje a saudade me mata
Não sei mais por onde andas.
Quem sabe nessa canção
Possa ouvir meu coração...

Dessa vez eu te prometo
Nunca mais vou te deixar,
Um amor puro e sincero
Eu guardei só pra te dar.

Por você eu faço tudo
Não quero te ver chorar,
Por isso eu te peço, volte!
Ou me deixa te buscar...

Autoria: Maria Raquel de Oliveira Souza


quinta-feira, 16 de julho de 2015

Ouro Branco



Cidade linda e tranquila
Assentada ao pé da Serra
Aos olhos reluz e brilha
Orgulho de nossa terra

Ao chegar bela surpresa!...
A serra se mostra inteira!
Amplo e belo monumento
Enfeitando o firmamento

(Refrão)
Quem conhece Ouro Branco
Vai embora e quer voltar,
Encantados com a beleza
E as histórias do lugar

Ouro Branco tem historia
Resquícios da antiguidade
Bem guardadas na memória
Por todos dessa cidade

Tem Fazenda pé do morro, barragem do Soledade
A Matriz de Santo Antonio, tesouro da humanidade.
Tem na estrada Real a casa de Tiradentes
Centenária Gameleira, maravilhosas vertentes.

(Refrão)
Quem conhece Ouro Branco
Vai embora e quer voltar,
Encantados com a beleza
E a energia do lugar.

Tem a festa da Batata
No inverno festival
Comida boa pra todos
Protetores de animal

É assim essa cidade
De magia colossal
Acolhedora, maneira
A todos recebe igual

(Refrão)
Quem conhece Ouro Branco
Vai embora e quer voltar,
Encantados com a beleza
E a energia do lugar.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Alegria Festeira



"Alegria Festeira"

O encanto traz no canto
Dos homens, dos animais
Alegria, humor, esperança
Nos saraus dos arraiais

Com batuques e atabaques
Charangos, bombos, cavacos
Os dedos dançam nas cordas
Os lábios cantam bem alto

No sossego entre colinas
Seguem bailando as meninas
Mostrando toda sua graça
Encantando a quem passa

As saias rodam no espaço
Pés ligeiros no seu passo
Bem no ritmo da moçada
No compasso da congada

Nessa alegria festeira
No campo ou na cidade
Motivo nunca há de faltar
Pra sempre comemorar...
Pra sempre comemorar!

Tem festa pra todo gosto
E tantas celebrações
E o povo disposto
Preservando tradições
Tradições!...

Nas saias rodadas
Pinturas desenhadas
Multicores, coloridos
Nas estampas dos vestidos

Nessa alegria festeira
No campo ou na cidade
Motivo nunca há de faltar
Pra sempre comemorar...
Pra sempre comemorar!

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Amor



Amor
O amor é algo que preenche todos os vazios do nosso ser. Ele se esvai através dos nossos poros, escorre em nossas veias, ilumina nosso olhar, faz doces nossas palavras.
Amor é afeto, cuidado, compaixão, compreensão, gratidão, esperança, lágrima, tristeza, solidão, alegria, paciência, educação, repreensão, humanidade...
O amor não se limita, não se confina, não se exige, não se descreve.
O amor é pleno, é soberano, é dádiva, é Deus!...Ele está dentro de nós em toda sua plenitude.
Ele é para ser sentido, encontrado, percebido, enxergado. Esse é um dos maiores desafios impostos a nós humanos.
Muitos pensam que amam, e nem sequer sabem o que seja amor de verdade.
Uns poucos conseguem amar, quase na sua totalidade.
Amor não se confunde com apego, com paixão, interesses...
Amor é incondicional, é único, é sábio, é universal.
Amor é amor! Amor é Deus!
Nós somos filhos de Deus, portanto, “Somos amor de verdade, pra nossa felicidade”...
Exercitemos o amor em tudo, nas mínimas coisas. Um exercício diário. Vigilância constante.
E é assim caminhando, acertando, errando, caindo, levantando, sorrindo, chorando, mas sempre e sempre buscando. Com a ajuda e misericórdia do nosso grande Pai, um dia, chegaremos lá!...
Ele estará sempre a nossa espera!

quinta-feira, 19 de março de 2015

Dançando Com Você



Dançando com você

Dançando com você
No embalo da canção
O mundo eu vi nascer
Me enchendo de emoção

Na toada, sem saber
O que vai acontecer
Juntinho com você eu sigo
Dançando...


Dançando com você
No embalo da canção
O mundo eu vi nascer
Me enchendo de emoção

Na toada, sem saber
O que vai acontecer
Juntinho com você eu sigo
Dançando...


Seu passo, meu compasso
No ritmo do amor
Juntinho com você eu sigo
Dançando...

A música nos leva
Me grudo com você
E mais nada se vê
É só nosso prazer

Lai, lai, lai, lai...

Dançando com você
No embalo da canção
O mundo eu vi nascer
Me enchendo de emoção

Na toada, sem saber
O que vai acontecer
Juntinho com você
Eu sigo dançando...

Seu passo, meu compasso
No ritmo do amor
Juntinho com você
Eu sigo dançando...

A música nos leva
Me grudo com você
E mais nada se vê
É só nosso prazer

Seu passo, meu compasso
No ritmo do amor
Juntinho com você eu sigo
Dançando...

Segura minha mão
Ouça o que vou dizer
Sinta meu coração
Dançando com você...

Dançando com você...

Maria Raquel de Oliveira Souza

quarta-feira, 11 de março de 2015

Delírio...


Delírio!...

Céu vai se abrindo e vem surgindo
Um novo dia, uma nova vida
Outro amanhã

O tempo passa, águas se vão
Ouço o barulho da ventania
Que calmaria

Mas aqui dentro, arde a fogueira
Arrocha o peito, dói solidão
No coração...

Caminho a esmo pra te buscar
Quanto mais ando, mais longe estás
Quero voar

Não tenho asas, tenho o pensar...
E assim me entrego, me enleva o sono
Pro meu sonhar...

Invento um jeito pra te encontrar
Ligeira, adentro, no meu delírio
Pra viajar...

Deito na relva, corpo orvalhado
Desnuda espero... o que mais quero:

Ver-te chegar!...

Maria Raquel de Oliveira Souza

domingo, 8 de março de 2015

Mulher

Mulher

Reluzes em todo o alvorecer
Rico tesouro carregas em teu ser

Cerne da árvore da vida
Tão bela e sempre tão querida

Templo do mais puro amor
Sublime como o perfume da flor

Véu de ternura e meiguice pura
Paz que inebria, acalenta, cura...

Brava mulher é teu o paraíso
Firme esperança mantém o teu sorriso

Força de paz e natureza plena
Na tez suave da madurez serena

Mãe no mais nobre recôndito de tua alma
Anjo, mulher, confortas com tua calma

Traduz a vida com brio e atitude
Com força e raça em mansa quietude

Para abrandar as dores e labores
Cantas e encantas os teus amores

Sábia mulher que dança no compasso
Trazes magia e graça no teu passo

Confiante, desenhas tua estrada
Com fé, trabalho, sustentas a jornada

Com pés no chão, não foges da labuta
Segues com amor, com garra, tua luta

Teu ser é múltiplo de tantas qualidades
Transbordas, amor, vigor, sensibilidade...

Para o filho, és tudo o que há de mais sagrado...
Para o universo, o mais doce e completo legado!...

Maria Raquel de Oliveira Souza

domingo, 1 de março de 2015

Rosas Cor-de-rosa




Rosas cor- de- rosa

Perfeitas em seus contornos
Do jardim para o adorno
Com pétalas bem desenhadas
Tanto em cachos ou isoladas

Mimo presente da vida
Quase sempre esta florida
Fulgor da flor em botão
Presente de uma estação

Rosas bailando ao vento
Enfeitando o firmamento
Rosas singelas, dobradas,
Inolentes, perfumadas

Rosas que enfeitam os sonhos
Rosas dos dias tristonhos
Rosas que trazem saudade
Lembranças da mocidade

Rosas da lua e do sol
Tem as cores do arrebol
Rosas rosadas mimosas
São todas rosas formosas

Rosa rainhas das flores
De enaltecidos amores
Será sempre agraciada


E pelos poetas... Cantada!

Maria Raquel de Oliveira Souza

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Menina Faceira

Aqui o vídeo da música "Menina Faceira" que fizemos em parceria; o músico peruano
Paulino Carrasco e eu.




sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Menina Faceira



Vai a menina vai
Pelos campos em flor
Vai abanando a saia
Cantando pro seu amor

Ela mora na fazenda
Onde encanta o beija flor
Com tantas variedades
Num festival multicor

Vai a menina vai
Pelos campos em flor
Vai abanando a saia
Cantando pro seu amor

Ela mora na fazenda
Onde encanta o beija flor
Com tantas variedades
Num festival multicor


Essa menina é matreira
Só pensa em namorar
Ela espera bem faceira
Um amor pra se casar 

Ela anda de mansinho
Balançando as cadeiras
Pisca de longe os olhinhos
Subindo pelas ladeiras 

Espalha graça e beleza
Por onde ela passar
Bem alegre e delicada
Traz luz pra esse lugar 

Com seu jeitinho dengoso
De encantar a meninada
Ela deixa todos loucos
Com a cabeça virada

Eles sonham com certeza
Poder levá-la ao altar
Fazer dela uma princesa
Melhor prenda do lugar

Essa menina é matreira
Só pensa em namorar
Ela espera bem faceira
Um amor pra se casar

Maria Raquel de Oliveira Souza 


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Mar de Amor


Autores: Paulino Carrasco e Maria Raquel de Oliveira Souza





Saudade
Despetalada dói
No meu peito, a flor perfeita
Que um dia foi perfume de almas,
De calor, de coração,
Do suor na nossa pele
A escorrer...

De molhar o corpo
E de prazer, voar
Nos seus braços
Que um dia foram meus,
Somente meus. 
Agora estou eu sonhando
Com aquela flor do jardim
Do meu amor, que desfolhou.
Que um dia floresceu, viveu
E depois acabou, murchou,
Morreu! 

Que o mundo entendeu,
Abriu os braços,
Nosso corpo abasteceu,
Preencheu!...
Agora aqui estou eu
Imaginando o dia
Que amanheceu...
Você e eu!...

Saudade despetalada dói
No meu peito, a flor perfeita
Que um dia foi perfume de almas,
De calor, de coração.
Do suor na nossa pele
A escorrer...

Saudade despetalada dói
Amarrotada, jogada assim ao léu...
Meu coração ainda é seu
Somente seu, meu amor

Nosso amor não pereceu.
O meu amor é seu, somente seu,
Meu amor, meu grande amor!...
Meu grande amor...

Nosso amor não pereceu.
O meu amor é seu, somente seu,
Meu amor, meu grande amor!...
Meu grande amor...



Meu grande amor...

sábado, 2 de agosto de 2014

Nas ondas do Mar


À beira do mar
Um povo a sonhar
Mulheres sofridas
Segredo a guardar

Em noites tranquilas
Em dias rosados
São tantos desejos
Assim desvelados

Cravado na alma
Fundido no tempo
Que venha o amor
Nas ondas, no vento

Parece que as ondas
Que chegam vazias
Com nada se importam
Nem sabem sonhar

A vida transita
Em bares e lares
E segue a rotina
Daqueles lugares

A moça, menina
Espera chegar
Alguém que lhe anima
Nas ondas do mar

De olhos amenos
Com mãos tão suaves
Com boca formosa
E o peito a pulsar

Suspiro entranhado
Abraço estreitado
Um sonho atrevido
Romance no ar...

Em belo instante
Em pleno verão
Que venha a esperança
Nas ondas do mar!...


 Maria Raquel de Oliveira Souza

quinta-feira, 22 de maio de 2014

segunda-feira, 28 de abril de 2014