segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Banco da Praça

Banco da Praça

O assopro do vento que passa
Recorda-me o banco da praça
Das tardes ensolaradas
De quando te namorava

As folhagens das palmeiras
Vento leve balançava
As flores das laranjeiras
O seu perfume exalava

Na igreja iam rezando
As beatas cantadeiras
Moleques sempre brincando
Correndo pelas ladeiras

No movimento da rua
Era tudo calmaria
A gente não tinha medo
Vivia na fantasia

Pra passear ou brincar
Tinha sempre companhia
Pra namorar e cantar
Tempo ruim não existia

A vida era mais leve
As dores eram mais breves
Ou será que com a idade
A gente enxerga a verdade?!...

Parece até que a ilusão
Morava em meu coração
Que pulsava de alegria
Era feliz todo dia!...

Autoria: Maria Raquel de Oliveira Souza


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Lembranças

Lembranças.

A distancia traz no vento
Lembranças daquele tempo
As carícias inocentes
Tremiam o corpo da gente

Era tudo muito intenso
Tudo era novidade
E não tínhamos a noção
Por termos tão pouca idade

Crescemos e cada um
Tomou rumos diferentes
Bem distantes um do outro
Plantamos nossas sementes

Porem eu nunca esqueci
Muitas saudades senti
Hoje o tempo já passou
O nosso sonho levou

Quando penso em você
Volto logo a ser criança
Faço castelos na areia
E corro pra te buscar

Pensando em te encontrar
Naquele mesmo lugar...
Em noites de lua cheia
Me perco a te procurar...

Maria Raquel de Oliveira Souza

Fantasiando

Fantasiando...

Meu corpo nu
Desliza no seu
Te abraço firme
Me aperta forte
Busca encaixes
Viajo nos seus
Alterno lugares
Procura os meus
Naufrago em suores
Mergulha em licores
Surfo em nuvens
Caminha em curvas
Brinca com os sons
Abafo os gritos
Engole o fôlego...
Me falta o ar...
Morde os lençóis
Aperto os nós
Bailo em sua pele
Suga meu seio
Giro em seu pescoço
Busca minha pelve
Vejo um arco Iris...
Delira em cores
Maria Raquel de Oliveira Souza